Não é incomum pessoas que não gostam de frequentar consultórios ou hospitais e que, por isso, se sentem desconfortáveis na presença de um profissional de saúde. Afinal, ninguém gosta de tomar uma agulhada ou de receber a notícia de que tem alguma doença, não é mesmo?

O problema é quando algumas dessas pessoas começam a apresentar um medo tão exagerado que fazem de tudo para evitar idas ao médico e realização de exames. Estamos falando da síndrome do jaleco branco. Você já ouvir falar? Acompanhe o texto de hoje para tirar suas dúvidas sobre o assunto!

1. O que é a síndrome do jaleco branco?

Essa síndrome também é conhecida como iatrofobia ou síndrome do avental branco. É quando alguém apresenta um medo exagerado e irracional do médico ou de outro profissional de saúde, e a simples visão de um jaleco branco ou a aproximação de um hospital ou posto de saúde pode desencadear pânico.

O medo que a pessoa sente de ir ao médico faz com que ela desenvolva sintomas de ansiedade. O principal é o aumento da pressão arterial, que pode ser interpretado de forma errada pelo médico, fazendo com que seja dado o diagnóstico de hipertensão sem que a pessoa realmente tenha a doença.

Nesses casos, a pressão arterial do paciente se mostra elevada quando é medida no hospital, clínica ou consultório, mas é normal em outras situações (em casa, quando não há um profissional de saúde por perto, por exemplo). Outros sintomas que o paciente pode apresentar são:

  • taquicardia;
  • sudorese;
  • formigamento;
  • palidez;
  • pequenos tremores;
  • náuseas e ânsia de vômito.

Além disso, é comum que essas pessoas evitem consultas e procedimentos médicos, adiem compromissos relacionados à saúde e/ou apresentem uma preocupação excessiva antes de ir ao médico. Existe também uma variável do problema que é chamada de efeito do jaleco branco. Nesses casos, se uma pessoa já tem o diagnóstico de hipertensão, por exemplo, sua pressão fica ainda mais elevada quando está na presença de profissionais de saúde.

Isso se mostra ainda mais grave, pois esse paciente corre o risco de ter um pico hipertensivo — que pode desencadear problemas sérios, como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.

2. Quais as causas do problema?

Ainda não é muito bem entendido o porquê do surgimento da síndrome do jaleco branco. Sabe-se que ela é mais comum em crianças, mas que também pode perdurar até a idade adulta ou mesmo só surgir nessa fase. Algumas causas associadas ao problema são:

  • a criação da imagem de que o médico e os estabelecimentos de saúde são relacionados a agulhadas, dor, remédios amargos;
  • paciente pode ter vivido uma experiência traumática na infância em um hospital ou clínica, que o fez desenvolver o medo desses ambientes;
  • a divulgação de erros médicos, falhas na assistência à saúde e notícias afins podem despertar o medo na pessoa de que algo parecido aconteça com ela;
  • a espera demorada em recepções e salas de espera com ambientes hostis e estéreis pode gerar um sentimento de ansiedade, associado à possibilidade de passar por um procedimento doloroso;
  • o paciente pode ter um amigo ou familiar que passou por situações negativas com um profissional de saúde, fazendo com que tenha medo de que o mesmo aconteça com ele.

3. Como é feito o tratamento?

O primeiro passo para um tratamento eficaz é identificar o problema. Normalmente, pessoas próximas e familiares são as primeiras a perceber que a pessoa apresenta uma ansiedade ou preocupação fora do normal quando tem que ir a estabelecimentos de saúde e se consultar com médicos.

O próprio profissional de saúde também pode perceber o problema durante a consulta, pela expressão corporal do paciente ou, até mesmo, seus sintomas. É importante fazer uma investigação minuciosa, para identificar se o problema em questão é realmente a síndrome do jaleco branco, e não algum outro tipo de ansiedade.

O tratamento deve ser direcionado para o grau de ansiedade e medo que o paciente sente, e é feito predominantemente com o acompanhamento de um profissional de saúde mental. Deve-se ter cuidado com o profissional que vai fazer o atendimento, pois ele mesmo pode gerar ansiedade no paciente.

O ideal é que as sessões de psicoterapia ou afins sejam feitas em um ambiente que não remeta ao ambiente hospitalar, e que o profissional não use jaleco, obviamente. O terapeuta pode utilizar diferentes técnicas, como:

  • técnicas de relaxamento;
  • técnicas de controle emocional;
  • compreensão dos traumas relacionados ao problema;
  • compreensão dos gatilhos por trás da síndrome.

O acompanhamento por profissionais de saúde mental é especialmente importante quando o paciente precisa passar por algum tratamento prolongado, cirurgia ou procedimento de saúde.

4. Como o médico pode se preparar para isso?

Os médicos e outros profissionais de saúde devem se preparar para lidar com esse tipo de paciente no seu dia a dia de atendimento, principalmente porque a síndrome do jaleco branco não é um problema raro.

O primeiro passo é entender que a síndrome é um problema real e sério, e não apenas um pequeno incômodo ou “frescura” por parte do paciente. O problema é uma condição catalogada pela medicina e até abordada durante a graduação. Algumas dicas que o médico pode seguir para lidar com isso são:

  • estabelecer uma relação de confiança com o paciente por meio de uma comunicação clara e respeitosa, de forma que ele se sinta seguro dentro do consultório;
  • decorar a sala de espera e o consultório de forma a fazer os espaços parecerem aconchegantes;
  • disponibilizar itens de entretenimento nas salas de espera para reduzir a ansiedade (música, revistas, café, biscoitos);
  • explicar para o paciente todos os procedimentos e tratamentos que serão realizados e as reações que ele poderá sentir.

Síndrome do jaleco branco

Conhecer e entender a síndrome do jaleco é algo importante para pacientes e profissionais de saúde. O paciente passa a identificar se tem o problema e pode então buscar ajuda. O profissional de saúde passa a incorporar atitudes que reduzem o impacto do problema e podem referenciar os pacientes com a síndrome para profissionais de saúde mental.

Gostou do artigo de hoje? Então, aproveite para seguir nossa página no Facebook e acompanhar nossas novidades!

Resumo
Síndrome do jaleco branco: 4 perguntas e respostas
Título
Síndrome do jaleco branco: 4 perguntas e respostas
Descrição
Você já ouvir falar na síndrome do jaleco branco? Acompanhe o texto de hoje para ficar por dentro e tirar suas dúvidas sobre o assunto!
Autor
Empresa
xDoctor
Logo Empresa
Autor

Escreva um comentário

Share This
xdoctor

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdo em primeira mão para melhorar a gestão e os resultados da sua clínica ou consultório!

Parabéns! Verifique seu e-mail para confirmar a sua assinatura. Caso não receba o e-mail verifique sua caixa de SPAM.