O prontuário eletrônico é uma ferramenta que garante eficiência e organização ao serviço clínico. A informatização dos dados clínicos do paciente é uma estratégia que facilita a integração das atividades e diminui os procedimentos desnecessários.

Quando comparado à versão manual, o documento digital apresenta inúmeras vantagens que somente foi possível com as inovações tecnológicas obtidas atualmente. A internet também contribui muito para a efetivação dessa prática.

Todavia, sua implantação requer cuidados e treinamentos constantes para não prejudicar a assistência ao paciente. Um dos requisitos fundamentais é verificar a capacidade dos computadores.

A implantação do prontuário eletrônico já foi realizada em quase sua totalidade no sistema público de saúde e caminha a passos largos nas instituições privadas, que já perceberam as vantagens desse método.

Quer saber quais são os benefícios do prontuário eletrônico? Então, acompanhe nosso post de hoje e descubra as potencialidades dessa estratégia!

O prontuário eletrônico

Trata-se de um aplicativo que insere todos os dados clínicos, medicamentosos e subjetivos do paciente. Nesse software é possível inserir as informações pertinentes e, principalmente, de forma legível e objetiva.

Pelo prontuário eletrônico, os profissionais de saúde conseguem resgatar os atendimentos anteriores e atualizar os existentes, o que garante a organização dos processos clínicos e administrativos.

Além disso, essa plataforma permite a inserção de exames laboratoriais e de imagem o que auxilia na interpretação do diagnóstico clínico e institui intervenções mais condizentes com o panorama encontrado.

Requisitos do prontuário eletrônico

O prontuário clínico é um documento legal que respalda as intervenções dos profissionais de saúde, pois registra todas as condutas adotadas. A diferença entre o documento físico e o virtual é a capacidade do último de recuperar os dados dos indivíduos.

Nesse sentido, é importante seguir as recomendações preconizadas pelo Conselho Federal de Medicina que determina que esse documento possa ser requerido pelo paciente da mesma forma que sua versão física.

Além disso, o prontuário eletrônico do paciente (PEP) precisa conter a assinatura digital do profissional de saúde que comprova a idoneidade das intervenções clínicas e o histórico de orientações recebidas.

Com a versão eletrônica do prontuário é importante que todas as intervenções realizadas pelos profissionais sejam adicionadas e resgatadas quando necessário, inclusive para fins jurídicos.

Segurança na transmissão de dados

O primeiro benefício da implantação do prontuário eletrônico é a segurança das informações. Comparado ao registro manual, verifica-se que o controle informatizado garante acesso aos profissionais somente por meio de senhas pessoais.

Com o prontuário acessível apenas nos computadores, evita-se que outras pessoas não relacionadas à situação do paciente possam investigar os dados e divulgar por meio de telefones celulares.

Porém, deve-se optar por sistema de registro de prontuários eletrônicos de empresas confiáveis, pois a versão gratuita desse software não garante transmissão segura das informações, além de conter um elevado número de anúncios e propagandas.

Além disso, as empresas que fornecerem essa plataforma de registros clínicos precisam adequar todas as informações às normativas do Conselho Federal de Medicina e da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde.

Redução significativa de custos

Implantar o prontuário eletrônico gera certo receio por parte dos gestores em virtude do investimento necessário para adequação dos computadores, treinamento de funcionários e instalação do software.

Contudo, ao longo do tempo se percebe redução do tempo para registro de informações, diminuição da impressão de formulários e também do espaço para armazenamento físico de documentos.

Além disso, a integração dos sistemas de recepção, farmácia, serviços clínicos e faturamento facilita a cobrança instantânea das contas hospitalares evitando glosas indesejadas ao processo.

Levantamento de dados clínicos

Com a implantação do prontuário eletrônico, os gestores poderão fazer um panorama dos principais problemas de saúde que acometem os pacientes assistidos. Poderão levantar outros dados clínicos de relevância para a instituição.

O relatório embasado nos prontuários eletrônicos fornecerá o perfil nosológico da instituição clínica, o número de medicamentos consumidos, a quantidade de procedimentos autorizados e os principais riscos clínicos relacionados às atividades propostas.

A partir dessa pesquisa e de outros estudos fora desse ambiente hospitalar, os gestores poderão fazer um diagnóstico situacional e implantar metas direcionadas ao perfil de paciente atendido.

Melhoria do atendimento clínico

Com a inserção do prontuário eletrônico, o profissional de saúde poderá dedicar mais tempo para atender aos problemas do paciente e menos para preencher formulários em papel, tarefa que demanda muito tempo.

Além disso, alguns formulários eletrônicos direcionam o atendimento clínico, na medida em que fornecem uma composição cronológica para anamnese do paciente considerando os aspectos mais relevantes.

Alguns softwares já possuem em seus registros informações farmacológicas e incompatibilidades medicamentosas relevantes para a prática clínica. Assim, quando o médico prescrever os medicamentos, o programa fará uma avaliação dos cuidados farmacológicos.

Adaptável em qualquer instituição

O prontuário eletrônico do paciente (PEP) poderá ser implantado em instituições de qualquer porte. Isso porque as funcionalidades do sistema podem ser ajustadas conforme o nível e complexidade dos atendimentos e da demanda de pacientes.

Em hospitais de grande porte que prestam serviços ambulatoriais, cirúrgicos e laboratoriais, as estratégias oferecidas pela plataforma devem permitir a organização efetiva desses dados, desde o momento da chegada do paciente à recepção até a alta hospitalar.

Em empresas clínicas com menor oferta de serviços, algumas funcionalidades serão desativadas para melhorar a eficiência do sistema e diminuir do espaço ocupado nos computadores.

Caberá à empresa fornecedora do software orientar a equipe clínica e administrativa da instituição de saúde e definir os parâmetros a serem utilizados para adequar ao perfil de atividades solicitadas.

O prontuário eletrônico é um método eficiente e prático que pode ser implantado em qualquer instituição de saúde. Sua utilização é benéfica em setores públicos e privados conforme a adequação exigida pela demanda de serviços.

As vantagens incluem organização dos documentos clínicos, otimização das atividades, redução de custos e melhoria da assistência clínica prestada pelos profissionais de saúde.

Porém é preciso que os gestores conheçam as opções existentes no mercado, avaliem as potencialidades do sistema e levantem os principais recursos financeiros para essa implantação.

E você, já implantou o prontuário eletrônico em sua instituição? Quer aprender mais sobre assuntos dessa área? Então, curta a nossa página no Facebook!

Autor

Escreva um comentário