O primeiro passo para planejar um marketing médico de sucesso para seu consultório ou clínica é entender o que significa o termo “marketing” e para que ele serve.

De acordo com a American Marketing Association, podemos definir marketing como um conjunto de processos criativos dentro de uma função organizacional, que faça a comunicação e que agregue valor para os clientes.

Além disso, ele deve facilitar as relações entre clientes e fornecedores de serviços e produtos, de modo a beneficiar os prestadores, os principais envolvidos em cada etapa e o destino final — o consumidor.

Mas, quais as funções do marketing?

Podemos dizer que o marketing tem como objetivo criar um relacionamento a longo prazo com os consumidores, baseado sempre em confiança e valores. Isso significa que a função desse processo criativo é levar a instituição como um todo a pensar sobre os clientes e a trabalhar com base em seus perfis e interesses.

O propósito do marketing médico, por exemplo, é atrair novos pacientes. Para isso, existem diversas ferramentas e formas de fazê-lo, abordando a ética, as taxas de sucesso e os custos. Aqui, um exemplo prático seria a utilização de anúncios online, que devem ser elaborados de maneira a gerar algum impacto nas pessoas que estão buscando justamente o serviço que você oferece e fazer com elas tornem-se possíveis pacientes de sua clínica ou consultório.

No entanto, antes de publicar qualquer anúncio ou outro tipo de marketing, o devido planejamento é fundamental. É preciso estudar qual a melhor ferramenta para o perfil da sua empresa, qual seu público-alvo, quanto você está disposto a gastar e qual o resultado você espera com essa estratégia. Ou seja, o planejamento estratégico é a chave para utilizar o marketing com sucesso.

Quer conhecer quais os tipos de marketing e as principais formas de utilizá-los, respeitando sempre a ética e obtendo, assim, uma clínica ou consultório de sucesso? Acompanhe nossas dicas a seguir:

Quais os tipos de marketing médico?

1. Marketing Direto

Nos dias de hoje, essa é uma das formas de fazer marketing que mais cresce em todo o mundo. Trata-se de um segmento que tem como objetivo alcançar resultados rápidos por meio de ações lógicas e práticas. Para isso, são utilizadas estratégias como, por exemplo, pesquisas de mercado para identificar o perfil dos pacientes e também daqueles que tem potencial a se tornarem clientes.

Tais estratégias devem ser planejadas com o simples propósito de obter lucro para a sua clínica ou consultório em um curto prazo de tempo, sem deixar de oferecer um serviço de qualidade a seus pacientes.

2. Marketing Indireto

O marketing indireto é aquele que utiliza estratégias discretas de propaganda em veículos de divulgação na mídia para vincular a imagem do negócio, de modo a atrair cada vez mais pacientes.

Ao fazer o marketing indireto, sua clínica ou consultório paga para aparecer em mídias como filmes, novelas e outras produções. Com essas ações discretas, não existem formas de o consumidor rejeitar o anúncio, já que eles estarão inseridos na programação que ele habitualmente assiste ou lê e não como um comercial — que ele pode simplesmente mudar de canal.

Esse marketing é bastante eficaz ao trabalhar com o nome da marca ou do produto de forma subconsciente, sem que os consumidores percebam ou se incomodem. Às vezes, o paciente pode nem notar a “propaganda”, mas na hora de escolher uma clínica ou consultório acaba se lembrando daquela referência que ouviu ou leu.

3. Live Marketing

O live marketing é definido como um conjunto de atividades que permitem a interlocução entre o fornecedor de um produto ou serviço e os potenciais compradores — no nosso caso, pacientes procurando atendimento para os problemas estéticos ou de saúde que eles apresentam.

Esse marketing “ao vivo” favorece o contato e as experiências sensoriais dos clientes, proporcionando assim os melhores resultados de captura de pacientes para sua clínica ou consultório. Dessa maneira, ele é considerado superior a qualquer outra forma de estratégia, uma vez que gera maior engajamento e envolvimento por parte dos promotores e divulgadores.

Contudo, cabe ressaltar que o live marketing deve ser feito com muito cuidado, sabendo como abordar cada tipo de pessoa devidamente e de maneira gentil, bem como a hora de não insistir para não se tornar inconveniente e gerar o efeito oposto: criar certa antipatia com o nome da empresa.

4. Marketing de Relacionamento

O foco desse tipo de marketing é estabelecer um bom relacionamento com os pacientes que já frequentam sua clínica ou consultório, como forma de estimulá-los a voltar quando precisarem novamente de seu serviço ou produto. Essa estratégia corresponde à fidelização de pacientes.

A melhor forma de fazer marketing de relacionamento é planejar uma comunicação efetiva com os pacientes que você atende e manter a excelência no atendimento, o que vai desde a estrutura, sala de espera e secretária até a consulta médica propriamente dita.

Entretanto, criar laços com os pacientes pode ser uma tarefa difícil e que demanda a promoção de ações contínuas — como eventos e workshops — por parte da sua clínica ou consultório, sempre pensando em fazer com que o paciente retorne e tenha uma experiência ainda mais satisfatória.

A partir disso, os próprios pacientes passam a fazer a propaganda por você. O chamado boca-a-boca é o objetivo final de todo marketing, no qual o cliente, após vivenciar uma boa experiência em seu estabelecimento, começa a divulgá-lo para seu círculo de amizades e familiares, que possivelmente vão procurar seu atendimento após alguém de confiança ter fortemente o recomendado.

Essa modalidade de marketing se parece muito com o marketing direto, porém os resultados não são a curto prazo como na modalidade anterior. Aqui, a palavra-chave é tempo. É preciso esperar que o nome da marca se espalhe, mantendo sempre a qualidade no atendimento e o bom relacionamento com os pacientes antigos e novos de forma contínua.

5. Marketing de Resposta

Esse tipo de marketing possui como objetivo solucionar os possíveis problemas de imagem do negócio, procurando os pontos fracos do estabelecimento para, assim, mudar a opinião de potenciais pacientes a seu respeito.

Dessa forma, o marketing de resposta tem como principal ferramenta o feedback, ou seja, o retorno dos pacientes sobre as experiências vividas na clínica ou consultório, a fim de descobrir quais as críticas e sugestões que aparecem com mais frequência. A partir disso, é necessário criar as estratégias necessárias para corrigir tais pontos falhos, que pioram a impressão das pessoas perante a instituição.

Além da captação de novos clientes por meio dos aperfeiçoamentos e investimentos feitos, essa modalidade de marketing é importante para a fidelização de pacientes: ao ver que os problemas foram corrigidos, eles certamente retornarão até você.

6. Endomarketing

O endomarketing está relacionado à comunicação interna do estabelecimento, buscando sempre a satisfação da sua equipe. É extremamente importante garantir que seus funcionários trabalhem motivados e dispostos a melhorar a empresa junto com você, como um time.

Para isso, implemente um conjunto de estratégias que valorize os colaboradores e crie boas condições de trabalho, adequadas de acordo com a função de cada cargo.

Dessa forma, a importância do endomarketing é possibilitar que a própria equipe faça a propaganda do negócio, demostrando satisfação e trazendo potenciais clientes.

7. Marketing de Incentivo

O marketing de incentivo representa as estratégias usadas para estimular e motivar as equipes de trabalho, fornecedores e distribuidores a cumprirem os objetivos e metas estabelecidas. Dessa maneira, são oferecidas premiações e reconhecimento para as melhores performances.

Dentre as estratégias mais utilizadas estão as campanhas de incentivo — um dos tipos de ação mais frequentes nesse segmento.

Pode-se dizer que o marketing de incentivo é bem parecido com o endomarketing, uma vez que suas estratégias também procuram melhorar o clima organizacional, harmonizar o relacionamento entre as equipes e incentivar a competição saudável entre os colaboradores, focando na obtenção de resultados cada vez melhores para os pacientes.

8. Marketing Social

O marketing social tem como princípio criar e divulgar a responsabilidade social da empresa por meio de ações solidárias, principalmente nas áreas mais vulneráveis onde os pacientes estão inseridos.

Além de atender as necessidades básicas das pessoas que moram em comunidades menos favorecidas, essas estratégias também colocam a sociedade em ação, direcionando-a para um comportamento coletivo e de empatia ao próximo, considerando sempre o direito de todos em ter qualidade de vida, saúde, moradia e alimentação.

Podemos destacar, então, que o principal ponto pregado pelo marketing social é acabar com a falta de coletivismo e influenciar a comunidade a sair do comodismo, praticando ações sociais e pensando não apenas em si, mas também no próximo.

9. Marketing Digital

A modalidade visa criar canais de comunicação em meios digitais e vem ganhando cada vez mais força, acompanhando as novas tecnologias presentes na vida dos pacientes.

Isso porque a internet é, sem dúvidas, o meio mais utilizado nos dias de hoje para a propagação do marketing — seja por meio de newsletters, posts, e-books, entre outras ferramentas. Além disso, o paciente pode escolher quais desses conteúdos ele deseja ler ou assistir.

Aqui, é importante mencionar também o marketing direcionado para as redes sociais, no qual a clínica ou consultório foca na produção de conteúdo direcionado especialmente ao público-alvo e divulga fotos mostrando sua estrutura física, equipamentos modernos e equipe qualificada.

Por fim, o marketing digital tem um potencial muito grande de alcançar novos pacientes, sobretudo a distância, uma vez que não há barreiras físicas para o conteúdo produzido na internet.

Adiante, vamos falar mais detalhadamente sobre o uso das redes sociais para fortalecer o marketing médico.

Como implementar o marketing digital?

Por meio do uso de sites e redes sociais, sua clínica ou consultório conseguirá produzir ótimos resultados sem precisar gastar tanto. Por isso a importância de saber utilizar — antes de implementar de fato as ações de marketing digital — as ferramentas e estratégias de cada um desses meios, buscando sempre elevar o número de pacientes que a clínica precisa.

A seguir, listaremos as principais estratégias para deixar seu site e redes sociais prontas para atrair novos clientes:

1. Faça um planejamento de ação e trace estratégias

Antes de começar o seu plano de marketing digital e ir criando sites, blogs e redes sociais, é importante definir quais são os seus objetivos, qual o investimento e retorno esperado, quanto sua clínica separou no orçamento para a ação e quais serviços serão oferecidos em cada um dos meios.

Após traçar os seus objetivos e definir quais as ações a serem colocadas em prática, faça uma análise retrospectiva, conferindo mais uma vez cada passo e cada valor. Para isso, você pode contar com a ajuda de pessoas especializadas em marketing e em gestão de informação, além de uma boa equipe de tecnologia.

Com essas análises em mãos, você conseguirá se orientar para os próximos passos, otimizando os resultados e definindo o que deu certo e o que deve ser abandonado ou alterado.

2. Conheça seus potenciais pacientes

Para que uma campanha de marketing digital no seu estabelecimento seja eficiente, é fundamental definir e conhecer o seu público, ou seja, as pessoas que se identificaram com o seu conteúdo.

Como existem características comuns entre esses potenciais pacientes, o ideal é começar com a produção de conteúdos mais generalistas, os chamados conteúdos de atração.

Nessa primeira etapa de produção, você deve compreender quais são as “dores”, desafios e comportamentos do seu público, de modo a criar um modelo base que servirá para a grande maioria dos seus pacientes.

Após definir quais são essas características, todas as estratégias do marketing digital serão voltadas para cada tipo de paciente, aprofundando as especificidades do conteúdo e tornando-o cada vez mais individualizado, de modo a atingir o paciente ideal e gerar ainda mais resultados.

Mas, quais as formas de se fazer isso? Primeiramente, é preciso colocar a “mão na massa”. Aqui, será preciso fazer pesquisas de campo e entrevistas para conhecer detalhadamente seu público — o chamado trabalho de investigação.

Para isso, use como base os pacientes que você já tem. Não somente os satisfeitos, mas também aqueles insatisfeitos e que fizeram críticas ou reclamações, criando assim um grupo mais heterogêneo.

3. Produza conteúdos de acordo com seus pacientes

Após planejar e estabelecer seu público-alvo, é hora de começar a produzir! Afinal, não adianta estar presente em todas as redes sociais e ter um site bem estruturado, porém sem conteúdo e com matérias vazias, sem informação ou confiabilidade.

Sendo assim, é fundamental produzir conteúdos relevantes, baseados em fontes seguras e que chamem a atenção de seu paciente, buscando atraí-lo até a sua clínica ou consultório e mostrando como ele pode ajudar a resolver os seus problemas e dores.

Não é uma boa ideia escrever de qualquer forma ou simplesmente escolher assuntos aleatórios, sem seguir uma estratégia. Defina um responsável para isso ou contrate uma empresa especializada em criar e estabelecer conteúdos como e-books, posts de blog, newsletter, gráficos ou até mesmo estudos de caso.

Lembre também de escolher palavras-chave que sejam atraentes para seus clientes e de utilizá-las de maneira correta. Logo após, seu estabelecimento deverá seguir um cronograma, no qual serão estabelecidas as datas e a quantidade de conteúdos a serem produzidos, de modo a garantir periodicidade e fluxo de pessoas no site ou redes sociais.

Através da produção de conteúdo contínuo dentro da estratégia estabelecida, é possível garantir o bom posicionamento do seu negócio nos mecanismos de busca, ocasionando assim a conquista de novos pacientes.

4. Divulgue o seu conteúdo na internet

Feito o conteúdo de qualidade, chegou a hora de divulgá-lo. Existem muitas maneiras de se promover um conteúdo na web, sendo o site o principal local onde todas as informações estarão reunidas para qualquer paciente, seja ele novo ou antigo.

Por isso, é fundamental manter a página sempre atualizada, com informações novas, imagens atraentes e chamadas que despertem a curiosidade dos visitantes, os fazendo clicar e ler mais sobre o assunto e, quem sabe, até mesmo entrar em contato, assinar sua newsletter e procurar pelo seu serviço.

Atualmente, as maiorias aliadas do marketing digital são as redes sociais. Se a sua instituição de saúde ainda não está presente nelas, está mais do que na hora de se planejar e estruturar para isto, uma vez que a maioria dos potenciais pacientes as utiliza como meio de pesquisa.

Uma boa maneira de ter destaque nesse tipo de mídia é criar boas chamadas, ou seja, resumos curtos do que se trata seu conteúdo, específicos para cada mídia social. Faça também postagens que divulguem e estimulem os internautas a clicarem e conhecerem sua página.

Por fim, esteja sempre pronto para responder comentários no post e e-mails com possíveis perguntas e dúvidas. Deixe seu contato disponível para que os clientes possam se comunicar com você — isso demonstra proximidade com quem está do outro lado da tela.

5. Crie laços com seus visitantes

Após publicar um conteúdo de qualidade e estar presente em todas as redes sociais, o próximo passo é atrair potenciais pacientes para sua base de contatos. Para que isso aconteça, é fundamental que você crie uma espécie de relacionamento com eles.

Afinal, a diferença entre você e os demais sites é o fornecimento de informações relevantes e conteúdos necessários para o cliente, o que influenciará positivamente o seu processo de decisão.

Para manter esses pacientes após conquistá-los, é importante criar confiança e demonstrar segurança. São essas duas características que, associadas ao serviço de qualidade e ao preço competitivo, fidelizam os pacientes e criam relações duradouras.

Quais as questões éticas do marketing médico?

Como você pode perceber, o marketing é uma das formas mais eficientes de atração de pacientes e visibilidade para as clínicas e consultórios.

Entretanto, para que tudo aconteça de maneira adequada, devem existir limites — especialmente quando estamos tratando de marketing médico, o que envolve doenças ou questões estéticas e pessoais.

Sendo assim, para que a campanha não saia do controle e prejudique a imagem profissional do médico e de seu estabelecimento, é necessário trabalhar a credibilidade, sem descumprir o que o órgão regulador recomenda sobre ética médica.

A instituição que regulamenta o marketing médico é o Conselho Federal de Medicina (CFM), por meio do código de ética médica e do Manual da Publicidade Médica. A partir desses documentos, os profissionais são permitidos ou proibidos de realizarem certas práticas.

A seguir, vamos relacionar o que diz o CFM com as estratégias de marketing mencionadas nosso artigo:

  • não é permitido ao médico fazer autopromoção dos seus serviços;
  • não é permitido fazer postagens que envolvam o rosto de seus pacientes, mesmo que haja autorização do mesmo;
  • em seu próprio site, o médico pode e deve divulgar seus serviços, formas de entrar em contato e conteúdos seguros e de acordo com a comunidade científica. Entretanto, para uma divulgação considerada ética, o conteúdo deve ir além da autopromoção;
  • é vetada a publicação de textos sensacionalistas e informações falsas ou sem qualquer embasamento científico em sites, blogs e redes sociais de qualquer tipo;
  • não é permitido realizar postagens e publicações onde os termos “o único” ou “o melhor”, por exemplo, estejam conotando superioridade;
  • é proibido oferecer garantia de resultados aos pacientes.

Conclusão

Portanto, antes de divulgar qualquer conteúdo, é fundamental que você conheça a fundo os principais tipos de marketing que existem atualmente e quais as melhores formas de colocá-los em prática.

Além disso, é essencial que todo médico da atualidade saiba aproveitar as vantagens da produção de conteúdos digitais, divulgando-os por meio de sites, blogs e, principalmente, redes sociais. Como resultado, cada vez mais clientes chegarão até você.

Por fim, ressaltamos que existe uma série de regulamentações sobre o assunto e que elas devem ser conhecidas e respeitadas, promovendo a prática de um trabalho baseado em credibilidade e confiança.

Sendo assim, é fundamental se pautar no código de ética da profissão durante o planejamento, produção e execução do marketing médico. Afinal, é justamente ética e respeito que seus pacientes esperam encontrar quando vão até seu consultório ou clínica, não é mesmo?

Se você se interessou pelo assunto abordado no post de hoje, não deixe de compartilhar este artigo nas redes sociais e deixar seus amigos da área por dentro do tema!

Avaliações
  • Artigo
5
Resumo
Marketing médico: como clínicas e consultórios fazem marketing?
Título
Marketing médico: como clínicas e consultórios fazem marketing?
Descrição
O primeiro passo para planejar um marketing médico de sucesso para seu consultório ou clínica é entender o que significa o termo "marketing". Saiba mais!
Autor
Empresa
xDoctor
Logo Empresa
Autor

Escreva um comentário

Share This
xdoctor

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdo em primeira mão para melhorar a gestão e os resultados da sua clínica ou consultório!

Parabéns! Verifique seu e-mail para confirmar a sua assinatura. Caso não receba o e-mail verifique sua caixa de SPAM.