As ferramentas de organização são aplicativos ou softwares e estão sendo incorporadas em larga escala nos negócios, consultórios e clínicas. Todavia, é preciso selecionar as mais apropriadas para não incorrer em frustrações.

Por isso, elas devem ser práticas, objetivas e facilitar o cotidiano de todos os envolvidos. A escolha dessas estratégias também será definida pelo investimento financeiro disponível, pelo número de funcionários e os benefícios gerados.

Além disso, como parte da melhoria dos processos organizacionais é preciso investir no tratamento humanizado e na modificação da estrutura física para garantir um layout moderno e adequado ao perfil do paciente.

Sendo assim, se deseja conhecer algumas estratégias que destacarão sua clínica em relação às demais, este post é você. Fique por aqui e conheça as ferramentas que ajudarão na organização da clínica.

1. Prontuário eletrônico

Esqueça o acúmulo de formulários e o desperdício de tempo para preenchê-los. A grande tendência é a inserção do prontuário eletrônico, que poderá ser adaptado para empresas clínicas de diversas complexidades e já está em uso, inclusive, nos serviços públicos de saúde.

O prontuário eletrônico é um documento virtual que armazena todas as informações clínicas e medicamentosas do paciente. Também podem ser inseridos exames laboratoriais e de imagem e enviar pareceres aos indivíduos por mensagens instantâneas.

Além disso, por meio do prontuário eletrônico é possível verificar o histórico de procedimentos, prescrições medicamentosas e demais informações terapêuticas, contribuindo com um análise complexa para as próximas intervenções clínicas.

A evolução do prontuário manuscrito para a versão eletrônica permitiu maior atenção do médico para com o paciente que, outrora, ocupava-se com o preenchimento de formulários, e possibilitou maior agilidade nas rotinas.

2. Agendamento online

O agendamento de consultas por técnicas virtuais tem ganhado cada dia mais adeptos. Isso porque muitos gestores clínicos já perceberam as vantagens de sua aplicação, dentre elas a notória redução de custos operacionais.

Sendo assim, o paciente poderá marcar uma consulta no conforto de sua residência, sem aguardar pelo horário comercial para fazer a ligação telefônica aos responsáveis pelo atendimento.

Além disso, o agendamento online diminui os custos administrativos (papéis, materiais de escritório, etc.) e de pessoal, além de fornecer um relatório periódico sobre as consultas marcadas, horários ociosos e outras análises importantes.

3. Armazenamento em nuvem

Com o advento da tecnologia e da ampliação dos conhecimentos em informática clínica, os gestores já utilizam o armazenamento em nuvem. Trata-se de um recurso que organiza os dados dos pacientes em um perfil virtual.

O armazenamento em nuvem é um recurso que permite a compilação das informações do paciente, porém sem utilizar a memória do computador. Essa situação impede a saturação da funcionalidade das máquinas, mantendo-as com velocidade compatível para os demais processos.

Com o armazenamento em nuvem, os médicos poderão acessar remotamente as informações do paciente de qualquer dispositivo com acesso à internet e, dessa forma, conseguir intervir precocemente em situações clínicas que exijam atenção.

4. Sistemas interligados

Antigamente, as rotinas de uma clínica eram fragmentadas e os setores, apesar de dependentes entre si, não mantinham uma integração virtual. Os processos eram duplicados e a produtividade pequena.

Hoje em dia, com o desenvolvimento de softwares específicos para a demanda das clínicas, é possível integrar todas as atividades, gerando códigos diferenciados para cada atendimento e facilitando o faturamento.

O paciente, ao ser cadastrado na recepção, será submetido às atividades clínicas e cirúrgicas e, após o desfecho final (alta, óbito, transferência), o consumo dos medicamentos, materiais hospitalares e honorários médicos serão contabilizados para o faturamento imediato.

Em consultórios menores, a integração de todas as funções da clínica permite maior controle das ações desenvolvidas e o levantamento de indicadores que poderão suscitar medidas gerenciais importantes.

Para tanto, é fundamental avaliar a demanda da empresa e observar quais funcionalidades os softwares disponíveis vão de encontro aos interesses dos médicos e gestores.

5. Telemedicina

A telemedicina é entendida como uma ciência que utiliza os recursos tecnológicos para assistir pacientes em lugares onde a distância é o fator impeditivo. Nesse sentido, a telemedicina utiliza-se de diversas ferramentas.

Uma delas é a consulta virtual com especialistas clínicos ou a videoconferência entre médicos para fazer discussões sobre pacientes complexos. Nesses casos, a apuração do diagnóstico será otimizada e as intervenções serão decididas em conjunto.

A telemedicina também está presente quando se contrata os serviços de laudos à distancia. Nesse contexto, as instituições solicitantes enviam as imagens radiológicas e os radiologistas de plantão laudarão os exames em menor tempo se comparado ao serviço tradicional.

6. Treinamento de equipe

O treinamento da equipe administrativa e clínica é uma estratégia que garante organização e uniformidade dos serviços prestados. O direcionamento da capacitação deve ser feito para o tratamento humanizado e a eficiência das atividades.

O tratamento humanizado é aquele em que os profissionais clínicos acolhem o paciente de forma objetiva, sem perder o foco nas queixas clínicas e emocionais dos indivíduos, respeitando os desejos e expectativas em relação ao tratamento.

A rotina da clínica deve sempre visar à eficiência dos processos e, nesse caso, espera-se a eliminação de etapas desnecessárias, readequação das atividades existentes e avaliação do quadro de funcionários.

7. Interação virtual com os pacientes

A tecnologia e a vivência nas redes sociais já foram incorporadas no cotidiano da maioria dos indivíduos. Pensando nisso, as empresas devem investir em interação virtual com os pacientes por meio do site próprio e no envio de mensagens personalizadas.

A criação do site da empresa fornece informações necessárias da rotina existente, contudo, algumas já investem em conteúdos sobre saúde e serviços de lembrete para o paciente. Sendo assim, é possível receber uma mensagem para confirmação da próxima consulta, por exemplo.

Também é possível a leitura de pequenos textos sobre doenças, uso racional de medicamentos e outros assuntos pertinentes à especialidade clínica dos médicos da empresa. Esse fator contribui para uma maior proximidade com os pacientes.

Ferramentas de organização

As ferramentas de organização de uma clínica devem fornecer subsídios para melhorar a produtividade, aumentar a demanda e otimizar os serviços ofertados. As estratégias para chegar a esse nível perpassam por investimentos na integração dos sistemas, capacitação de funcionários e avaliação contínua das atividades após a implantação.

Portanto, se esse for o seu interesse, entre em contato conosco! Faremos uma análise e indicaremos os planos mais adequados ao seu negócio em saúde!

Autor

Escreva um comentário