Saber como a evitar inadimplência em clínicas e consultórios de pequeno porte é um desafio diário a ser enfrentado. Isso porque a instabilidade financeira da empresa gera consequências em diversas etapas do negócio.

Além disso, em consultórios e clínicas o equilíbrio financeiro é muito tênue. A falta de pagamentos dos clientes pode afetar desde a produtividade dos profissionais de saúde até a ruptura de estoque de insumos farmacêuticos e administrativos.

Por isso, é fundamental elaborar estratégias racionais para evitar a inadimplência e observar os resultados em nível assistencial e financeiro, com o objetivo de garantir a permanência dos serviços.

Ademais, as experiências com essa situação devem servir para monitorar a movimentação financeira e evitar novas ocorrências que possam afetar novamente a qualidade das atividades clínicas.

Quer saber como evitar inadimplência em consultório e clínicas? Então, não deixe de ler nosso post de hoje e descubra!

Como a inadimplência afeta a empresa?

Uma clínica com altos níveis de inadimplência não consegue equilibrar suas despesas e investir em infraestrutura e produtividade, capacitação da equipe, além de melhorias dos serviços prestados.

A empresa, também, corre o risco de estagnar suas atividades, enquanto a concorrência conquista a clientela ávida por inovações e qualidade no atendimento.

A ausência de investimentos e o desequilíbrio financeiro demandam tempo para reorganizar as contas e, consequentemente, deverão ser feitas mudanças na rotina do negócio.

É fundamental que o gestor detecte sinais iniciais de desequilíbrio financeiro para que a situação não transcorra sem o devido controle. Isso pode prejudicar serviços essenciais, como consultas particulares, procedimentos ambulatoriais e falta de insumos farmacêuticos.

Além disso, é importante que o gestor reconheça a dimensão do problema, trabalhe em prol de mudanças e obtenha ajuda de especialista quando a situação demandar consultoria específica.

O que fazer nessa situação?

A primeira ação que deve ser feita em casos de receita insuficiente devido à inadimplência de pacientes é apresentar a situação para todos os envolvidos na gestão da clínica.

Nesse caso, é crucial mostrar a situação financeira atual e quais serão as consequências desse atraso caso um planejamento não seja feito para modificar esse cenário. Em seguida, faça um levantamento das principais mudanças organizacionais que poderão ocorrer e coloque em prática por meio de um plano de reestruturação.

Após a programação das atividades, os gestores devem delegar as tarefas mais urgentes a serem executadas, levantar os indicadores pertinentes e modificar as rotinas existentes como intuito de melhorar a situação.

Quais são as principais medidas?

Mantenha diversas formas de pagamento

A diversidade das formas de pagamento é uma saída para empresas que necessitam captar mais clientes. A proposta de utilização dos cartões de crédito, parcelamento dos serviços ou emissão de cheques são boas alternativas para minimizar a inadimplência.

Essas opções geram uma amplitude nas formas de pagamento e podem atrair novos pacientes, ou  até mesmo facilitar a quitação de dívidas dos indivíduos que ainda não a fizeram conforme o acordo firmado.

Há também a possibilidade de acordar atrasos dos pagamentos com os diversos tipos de pacientes para reaver as dívidas, buscar soluções plausíveis para ambas as partes e poder recuperar o dano causado.

Também é preciso investir em parcerias com fornecedores para que o valor pago por consulta ou procedimento seja mais atrativo em relação à concorrência, de maneira que a preferência dos pacientes se dê pelo alto nível de assistência.

Nesse contexto, cabe ao gestor oferecer serviços em que o custo-benefício seja positivo, ou seja, o valor pago seja coerente com a qualidade de assistência prestada pela clínica.

Elabore alertas sobre prazo de pagamento

Os pacientes nem sempre costumam se lembrar das datas de pagamento. A utilização de alertas é uma boa maneira para evitar que se esqueçam dos prazos. Os lembretes podem ser enviados por e-mail, mensagens pelo celular e também podem ser feitos por meio de ligações.

A abordagem da cobrança deve ser sempre cordial para que não haja desentendimentos e seja possível manter o paciente na clínica. Nos casos em que o valor for alto, é prudente verificar medidas judiciais.

Avalie como flexibilizar os preços

Alguns gestores preferem limitar a negociação dos preços dos serviços oferecidos, enquanto outros optam pela redução dos valores. É preciso avaliar se vale a pena flexibilizar os preços, permitindo a entrada de novos clientes ou oferecer um desconto, evitando a inadimplência.

É de extrema importância que os gestores verifiquem o histórico dos pagamentos dos serviços oferecidos nos últimos seis meses para servir como base para suas decisões.

Invista em um bom software financeiro

Algumas clínicas costumam ter um controle financeiro centralizado com a utilização de formulários simples que não contemplam todas as movimentações efetuadas. Um sistema amador que não demonstre a real situação financeira pode significar um risco para o negócio.

Para que haja uma gestão financeira eficiente é recomendável investir em um software financeiro que abranja a complexidade dos serviços e pagamentos, além de integrar com as outras áreas da empresa.

O software de gestão clínica tem a capacidade de reunir todas as movimentações financeiras, levantar o faturamento mediante a produtividade das atividades, quantificar as despesas geradas pelo consumo de insumos e ainda registrar o quadro de pessoal.

Além dessas vantagens, o software emite relatórios gerenciais que facilitam a tomada de decisão, evidenciando erros no lançamento das contas hospitalares.

Atualize constantemente os dados dos pacientes

Dados atualizados dos pacientes ajudam os gestores a identificarem o comportamento dos clientes quanto ao histórico dos pagamentos realizados, possíveis cobranças a serem feitas, além das  informações bancárias.

Um gestor organizado em relação ao próprio negócio e às informações do paciente evita cobranças desnecessárias, tem sempre em mão as movimentações financeiras e garante o planejamento das receitas para o bom andamento do seu negócio.

Como evitar a inadimplência

Saber como evitar a inadimplência deve fazer parte das competências dos gestores, que planejarão as intervenções a serem tomadas mediante a situação instalada. Verificarão, também, novas opções de pagamento ou renegociação de dívidas de modo a recuperar a estabilidade financeira perdida. Sendo assim, os benefícios serão percebidos no âmbito econômico, assistencial e gerencial.

Gostou do nosso texto? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Artigo
  • Avaliação
5
Resumo
Como evitar a inadimplência de pacientes? Veja aqui
Título
Como evitar a inadimplência de pacientes? Veja aqui
Descrição
Saber como a evitar inadimplência em clínicas e consultórios de pequeno porte é um desafio diário a ser enfrentado.Saiba mais!
Autor
Empresa
xDoctor
Logo Empresa
Autor

Escreva um comentário

Share This
xdoctor

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdo em primeira mão para melhorar a gestão e os resultados da sua clínica ou consultório!

Parabéns! Verifique seu e-mail para confirmar a sua assinatura. Caso não receba o e-mail verifique sua caixa de SPAM.