Prezar pela qualidade no atendimento em clínicas médicas e consultórios deve ser uma constante para os médicos gestores, tanto no quesito administrativo, quanto assistencial. Isso porque esse parâmetro de excelência traz retorno financeiro e produtividade à instituição.

Por outro lado, a assistência clínica que deixa o paciente insatisfeito pode repercutir em diminuição dos serviços, mudanças no perfil de atividades e pouco investimento em novas frentes de trabalho.

Portanto, é essencial verificar quais são os erros cometidos, modificá-los e acompanhar a satisfação dos serviços implantados por meio de indicadores objetivos e fidedignos. Quer saber quais são os principais erros no atendimento em clínicas médicas? Então, fique por aqui e entenda mais sobre esses problemas!

Tempo de espera longo demais

O consultório médico precisa de um número significativo de pacientes para que a rotatividade desses indivíduos mantenha a sustentabilidade da empresa. Além disso, os pequenos procedimentos realizados nos consultórios também devem ser incorporados ao faturamento final para análise da situação econômica.

No entanto, para chegar ao equilíbrio financeiro, a equipe administrativa opta por marcar as consultas em intervalos muito pequenos. O resultado é um grande número de pessoas aguardando na recepção da clínica médica.

Essa prática também não considera aspectos importantes, tais como uma consulta particular ou outras que são apenas retornos. Isso gera muitos problemas para aqueles que aguardam ansiosamente pelo atendimento.

Esse cenário impacta negativamente na visão do paciente, que interpreta essa situação como falta de respeito à pontualidade do individuo, descaso com o desconforto causado pela espera de uma consulta programada e falta de organização da equipe administrativa.

Falta de informações sobre os procedimentos

Uma consulta médica deve ser esclarecedora sob os aspectos clínicos e financeiros. O paciente precisa sentir confiança no médico e entender todos os procedimentos que serão realizados nele. Todavia, alguns médicos não se atentam a esse quesito.

Para tanto, os médicos devem explicar detalhamento o diagnóstico conforme o nível de letramento em saúde do paciente, apresentar as opções mais favoráveis ao problema clínico e orientar os familiares quando necessário. É crucial que os profissionais abordem questões relacionadas ao custo dos procedimentos, a que materiais serão cobertos pelo plano de saúde e quais não terão reembolso pelas operadoras.

Sala de espera negligenciada

Antigamente, as salas de espera de um consultório clínico eram baseadas em revistas de celebridades e um filtro de água. Porém, atualmente, esses requisitos não são suficientemente atraentes. Sendo assim, uma sala de espera deve conter móveis aconchegantes, ambiente climatizado, internet wi fi, revistas sobre diversos temas, com ênfase aos cuidados em saúde e, opções de bebidas que vão além da água e dos cafés de garrafa térmica.

Isso porque a experiência nesse espaço também é avaliada pelo paciente que preza por uma boa acomodação enquanto aguarda o atendimento. O local deve ser pensado para atender idosos, pessoas com dificuldade de locomoção e com outras deficiências (visual, auditiva etc.), se for o perfil de pacientes recebidos pela clínica.

Pouco investimento na avaliação do paciente

O investimento no atendimento em clínicas médicas deve começar no pré-atendimento e manter a qualidade até depois da consulta. Pois, o processo de marcação precisa ser eficiente e atender às demandas do paciente. Nesse contexto, o agendamento online é uma estratégia interessante, porém o uso comercial do telefone é uma opção para aqueles com pouca destreza nos sites eletrônicos e nos aplicativos de celular.

Ao final da consulta é importante que a equipe administrativa obtenha informações com o paciente sobre o atendimento recebido. As formas são diversas: via contato telefônico, aplicativos de mensagens instantâneas, preenchimento online ou correspondências.

Utilização de indicadores inefetivos

O uso de indicadores é aconselhável para os gestores que necessitam de um diagnóstico situacional da clínica. Dentre eles, é possível mensurar índices de produtividade e pontos a melhorar e por isso devem ser bem escolhidos.

No primeiro caso, devem ser considerados: porcentagem de consultas realizadas, número de procedimentos executados, avaliação da satisfação do paciente, dentre outras. No segundo caso deve-se mensurar a quantidade de glosas dos convênios, número de absenteísmo, principais reclamações dos pacientes.

Sendo assim, os gestores terão informações apuradas sobre os acontecimentos da clínica e traçarão metas para mudanças das não conformidades. Além de poder investir em melhorias das atividades com avaliação positiva.

Serviços pouco diferenciados

Com a correria do cotidiano em que se vive, é fundamental a criação de ferramentas que facilitem a marcação de consultas ou agilizam o diagnóstico do paciente. Nesse sentido, o uso dos recursos tecnológicos inovadores é um grande diferencial.

Os médicos gestores devem implantar serviços variados em relação à concorrência para destacar a empresa e atrair novos pacientes. Uma das formas de obter esse benefício é a incorporação do prontuário eletrônico nos softwares ou a emissão de laudos online. Outra estratégia do ponto de vista multidisciplinar é a inclusão de serviços de outros profissionais clínicos no mesmo ambiente, favorecendo o encaminhamento do paciente e a intervenção mais rápida no indivíduo.

Falta de humanização na abordagem clínica

A humanização é uma prática que deveria ser a essência do profissional de saúde, porém muitos se especializaram nos diagnósticos e intervenções e, se esqueceram de que por trás desses problemas clínicos estão diversos tipos de pacientes. Dessa forma, a conduta fria e calculista deve ser abolida do consultório médico, dando lugar ao profissional que se preocupa com uma comunicação eficiente considerando as dimensões biopsicossociais da condição clínica e como isso deve ser abordado.

Sendo assim, o médico deve encontrar estratégias para lidar com o sofrimento do paciente e interpretar como a doença está afetando ou afetará as intervenções terapêuticas propostas, enfocando sempre a figura do indivíduo.

Atendimento em clínicas

Investir no atendimento em clínicas e consultório deve ser um pensamento constante dos médicos gestores para atrair novos pacientes, facilitar a fidelização, otimizar a gestão de recebimentos e aumentar o faturamento nos serviços. Para tanto é imprescindível verificar os principais erros, buscar melhorias ou adaptações para atender o paciente com excelência do ponto de vista clínico, econômico e humanizado.

E você, ainda tem dúvidas sobre as melhores técnicas para atendimento ao paciente? Então, não deixe de ler também sobre como atrair mais pacientes para seu consultório!

Autor

Escreva um comentário