Abrir o próprio consultório ou clínica não é tarefa fácil. Sobretudo quando nos damos conta de que a faculdade de medicina não nos ensina absolutamente nada a respeito de gestão, administração, planejamento tributário ou economia: noções essenciais para liderar um empreendimento como esse.

É um engano pensar que você será médico em tempo integral, pois suas funções vão passar tanto pela administração da estrutura e dos funcionários, quanto pelo marketing médico e pelas questões burocráticas da clínica.

E por falar em burocracia, você sabe como realizar um planejamento tributário eficiente e organizado? A sua clínica é um negócio como outro qualquer e você precisa estar atento para não ser pego de surpresa com nenhuma irregularidade.

Sabemos o quanto é difícil para profissionais da área da saúde lidarem com a parte financeira e burocrática da clínica, portanto, preparamos um guia prático para que você entenda de uma vez por todas como começar a realizar um planejamento tributário para a sua clínica de forma simples e sem complicações. Confira:

1. Comece definindo o seu regime de tributação

O primeiro passo para começar o seu planejamento tributário é definir o perfil do seu consultório. Você pode optar por se apresentar como pessoa física ou pessoa jurídica.

No primeiro caso, você será visto como um profissional autônomo que atende em um consultório e deverá, obrigatoriamente, realizar o Imposto de Renda Anual (RI) e registrar, mês a mês, todas as suas movimentações financeiras em um livro-caixa.

No caso da pessoa jurídica, há algumas especificidades que precisam ser detalhadas. Existem dois tipos de regimes tributários para pessoas jurídicas que são os mais comumente usados por profissionais da área da saúde e clínicas médicas: o Lucro Presumido e o Simples Nacional.

Simples Nacional

Nesse tipo de regime, a alíquota inicial é de 16,93% e pode chegar a 22,45%, se modificando conforme o seu faturamento anual. O regime Simples Nacional é ideal, principalmente, para consultórios que possuem um grande número de funcionários, já que não haverá recolhimento do INSS Patronal.

Porém, nessa categoria, o limite é baixo (R$3.600.000,00 por ano), limitando a participação em outras empresas a essa receita bruta e, além disso, você não poderá se associar a alguém que reside no exterior ou a uma pessoa jurídica.

Lucro presumido

O regime de lucro presumido funciona bem para clínicas e consultórios com uma margem de lucro grande, ou seja, que possuam poucas despesas, já que ele consiste em substituir o lucro real da clínica pela margem de lucro definida em lei.

Nesse regime, os impostos são definidos apenas pelo valor de 32% da Receita Bruta da empresa. Se o seu consultório possui uma receita bruta de R$100.000,00, por exemplo, o valor da tributação seria de R$32.000,00 e o restante sairia isento.

Porém, caso as suas despesas sejam altas e o seu lucro seja menor do que 32% da Receita Bruta da clínica, o regime de lucro presumido não compensa, pois você pagará mais impostos.

Entre as vantagens desse regime estão: o limite de faturamento mais alto que o do regime Simples Nacional e a possibilidade dos impostos serem pagos trimestralmente, isto é, diminuindo o impacto no fluxo de caixa nos dois meses antecedentes.

Entenda todos os tributos incidentes

Depois de escolher o seu regime tributário, é importante que você entenda todos os tributos pelos quais sua clínica poderá ser cobrada, afinal, deixar de pagar qualquer um deles pode resultar em multas altíssimas e problemas com a lei.

Qualquer consultório, clínica ou hospital são considerados parte do setor de serviços, portanto, será cobrado sobre eles o ISS (Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza) e sua alíquota pode variar de município para município, chegando até a 5% de diferença de uma cidade para a outra.

Outros tributos importantes aos quais você deve estar atento são:

  • IRPF ou IRPJ  (Imposto de renda para pessoas físicas ou jurídicas);
  • CSLL ( Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);
  • COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social);
  • PIS
  • INSS (retirado sobre a folha de pagamento).

3. Mantenha-se atualizado sobre os tributos relacionados a sua clínica médica

É fundamental que você se mantenha sempre informado sobre as questões tributárias do seu consultório ou clínica, pois, a qualquer momento, as leis podem mudar ou o seu estabelecimento pode passar a se enquadrar em outro regime ou categoria.

Um bom exemplo disso foi a recente mudança na lei que agora considera que “serviços hospitalares” não são prestados apenas por hospitais, mas também por clínicas — seguindo alguns critérios, é claro.

Portanto, segundo essa interpretação, para as instituições que se enquadram nessa interpretação o IRPJ e a CSLL, antes cobrados à 32%, são reduzidos para 8% (IRPJ) e 12% (CSLL). O gestor que não se manteve informado a respeito disso e se encaixava nessa mudança, pode estar pagando mais impostos do que deveria, por isso é tão importante estar atento às mudanças tributárias.

4. Utilize a tecnologia para realizar um planejamento tributário preciso e otimizado

É muito importante que você saiba todos esses detalhes sobre a tributação da sua clínica para que não haja erros e você saiba construir um bom planejamento, porém, nós sabemos como a vida de um profissional da área da saúde é extremamente corrida e como você tem que se desdobrar em mil funções diferentes na sua clínica.

Por isso, a maior dica deste guia é sugerir que você otimize o seu tempo e garanta um planejamento tributário preciso através de um software de gestão para clínicas. Nele, tudo será calculado e organizado de forma detalhada e pontual, assim você poderá utilizar mais do seu tempo para oferecer atendimentos de boa qualidade do que se preocupando com as questões burocráticas da clínica.

Um software de gestão completo e inteligente pode possuir um módulo financeiro que calcula todos os impostos e registra o seu fluxo de caixa mês a mês!

E aí, está pronto para começar o planejamento tributário da sua clínica? Para ficar por dentro de mais informações relevantes para o bom andamento do seu consultório, assine a nossa newsletter e receba todas essas dicas diretamente no seu e-mail! Até o próximo post!

Autor

Escreva um comentário